sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Apfelstrudel

postado por: Marilia


Embora tenha origem austríaca, este folhado de maçãs tronou-se conhecido internacionalmente como um doce alemão, devido a grande produção de maçãs nesta região.

A primeira vez que experimentei esta delícia foi amor a primeira mordida. Uma querida amiga me apresentou (obrigada Erika!). Num passeio à Campos do Jordão conheci a versão que apresento hoje: com mix de castanhas e frutas - é de capotar!

Se você ainda não experimentou, recomendo que resolva este problema o quanto antes! rs

Vamos à receita?

1 rolo de massa folhada descongelada
5 maçãs fuji cortadas em fatias finas - sem o caraço
3/4 xícara (chá) de farinha de rosca
3 colheres (sopa) de manteiga sem sal
2 colheres (sopa) de rum
2 colheres (sopa) de água quente
50g de uva passa-preta
50g de damasco seco picados
100g de castanhas picadas (caju, castanha do pará, amêndoas e nozes - ou as que você preferir)
3 colheres (sopa) de açúcar
1 ovo batido - para pincelar

Pré-aqueci o forno a 180.º C.

Comecei pela farofa. Numa frigideira, derreti em fogo médio a manteiga. Em seguida adicionei a farinha de rosca e mexi até ficar douradinha. Deixei esfriar.



Hidratei as uvas-passas e os damascos com o rum e a água por aproximadamente 20 minutos. Piquei as castanhas. Reservei.



Lavei as maçãs em água corrente e cortei-as em fatias finas. Mantive-as imersas em água com gotas de limão para não escurecerem.



Numa tigela grande adicionei as maçãs (escorridas) as castanhas e as frutas picadas - e escorridas - a farofa e o açúcar. Misturei bem.


Sobre uma superfície enfarinhada, abri a massa para que ficasse bem fininha. Depois transferi para um pano bem limpo. Numa das pontas (a de menor comprimento) acomodei o recheio. Passei água nas pontas para que a massa colasse. Com o auxílio do pano, fui formando o rocambole, pressionando as pontas para que o recheio não vazasse. (Me esqueci de tirar foto desta etapa. Perdão!!)

Transferi o rocambole para um forma (não precisa untar/enfarinhar). Pincelei com o ovo batido e levei para assar até ficar levemente dourado.

Servi com uma boa colherada de chantilly. 





Minhas considerações:

- fiz a opção pela massa pronta pois a massa caseira é extremamente complicada de se fazer: demanda tempo e habilidade que ainda não possuo;

- é um doce delicado, portanto vigie o tempo de forno pois não deve assar demais;

- podes servir com uma bela bola de sorvete... eita!!

- recomendo fortemente que faças na sua casa e compartilhe com quem você ama.


Bom apetite!


Se fizer me conta?